Animais de estimação fumam passivamente milhares de cigarros, revela estudo

12

Animais de estimação que convivem com fumantes provavelmente fumam passivamente milhares de cigarros a cada ano.

Os animais de estimação que convivem com fumantes têm os riscos de doenças maléficas, inclusive de câncer de pulmão. Isso se deve à enorme ajuntamento de cigarros que são forçados a inalar passivamente. Estudo concretizado pela companhia de seguros MORE TH> N, o fumante médio que tem um animal de estimação, fuma 9 cigarros diariamente enquanto o seu animal está próximo. Isto comprova que todos os anos são expostos até 3285 cigarros!

A pesquisa foi feita entre 2 mil fumantes que auxiliam animais de estimação. e dentre eles 22% confirmam que fumam muito mais e intoxicam a vida dos animais com 15 cigarros diariamente. São produzidos 5500 por ano.

Mais de ¾ de pessoas que fumam confessaram que permanecem a fumar, mesmo compreendendo que isso prejudica seus animais de estimação. 68% disseram que pensariam em parar se um veterinário falasse que seu hábito está lesando seu cão ou gato.

Um estudo realizado revelou que os animais que são fumantes passivos tendem a estar mais “encrencados” do que as pessoas, isso acontece porque os animais permanecem mais tempo dentro de casa, como exemplo, deitando em tapetes onde existe partículas cancerígenas acumuladas.

Outros estudos feitos nos anos 90 revelaram que os cães que convivem nos lares dos fumantes têm um risco 60% maior de adquirir câncer de pulmão do que os animais que respiram ar fresco.

Veja também:  Padaria faz pães em forma do traseiro de um Corgi

Em outros estudos, parece até bem curioso, foi descoberto que as raças com focinhos menores, como por exemplo, os Pugs, têm maior risco de desenvolver câncer de pulmão. Entretanto os cães com focinhos mais longos correm o risco de ter câncer no nariz.

via: educadoreslive