Pais que não disciplinam os filhos terão que sustentá-los a vida toda, afirma psiquiatra

45

Içami Tiba foi um médico psiquiatra, colunista, escritor de livros sobre Educação, familiar e escolar, e palestrante brasileiro. Professor em diversos cursos no Brasil e no exterior, criou a Teoria da Integração Relacional, que facilita o entendimento e a aplicação da psicologia por pais e educadores.

Em trecho do seu livro Pais e Educadores de Alta Performance, Içami Tiba fala de como pais que não impõem regras e disciplinas aos filhos, geram adultos que serão sustentados pelo resto da vida.

Içami Tiba elaborou 31 frases que todos Pais devem questionar se estão agindo de tal forma:

Fazer pelo filho o que ele próprio pode fazer sozinho;

Deixar de cobrar obrigações que ele tem de cumprir;

Engolir contrariedades, respostas mal-educadas, desrespeito aos outros;

Permitir que o filho imponha suas vontades inadequadas a todos;

Concordar com tudo o que o filho faz e diz só para não contrariá-lo;

Acreditar que “o filho não mente” ou “ele nem sabe o que faz”;

Permitir que o filho gaste o dinheiro do lanche em outras coisas;

Assumir para si as responsabilidades sobre o que o filho faz;

Silenciar quando percebe que o filho falsificou a assinatura dos pais;

Repetir muitas vezes a mesma ordem;

Dar tapas ou “surras pedagógicas”;

Ser conivente com suas delinquências;
Leia Também: Há feridas que nunca curam, apenas se esquecem de doer.

Aceitar notas baixas, tarefas feitas de qualquer jeito;

Terceirizar a educação dos filhos;

Ignorar o lixo que o filho jogou no chão;

Permitir que os filhos dentro de casa façam o que não devem fazer no ambiente social;

Veja também:  3 verdades sobre a cesariana que todas as mães devem saber

Incentivar a tirar proveitos pessoais de qualquer vantagem que tiver;

Justificar as falhas dos filhos como erros dos outros;

Tolerar mentiras, traições, pequenos furtos etc;

Minimizar o cumprimento de regras, ordens e combinações estabelecidas;

Inventar desculpas por falhas próprias;

Mudar as regras existentes para favorecer os filhos;

Permitir que experimentem drogas;

Fingir que não percebeu a ingratidão e o abuso que os filhos cometeram;

Instigar superioridade religiosa, financeira, familiar, sexual etc;

Dividir o mundo em pessoas espertas e burras;

Ser cúmplice ou conivente nas transgressões e contravenções dos filhos;

Colocar o filho acima de tudo e de todos;

Ajudar o filho a “colar” nas provas;

Fazer a lição de casa do filho;

Ameaçar ou agredir professores ou pais dos amigos do filho por erros que são dele.

fonte; portalraizes