Pessoa aleatória impede que garota de 12 anos seja sequestrada ao fingir que é sua mãe

111

Mais de 460.000 crianças desparecem todos os anos nos Estados Unidos. Isso significa uma criança a cada 40 segundos.

Muitas pessoas acham que isso não vai acontecer com elas, mas a realidade é que qualquer criança pode ser vítima de um sequestro.

Quando Amy Martinez, de 12 anos, deixou sua casa na manhã de 21 de fevereiro de 2018, não tinha ideia de que estava prestes a se tornar alvo de um sequestro.

Amy estava caminhando para escola quando uma mulher imunda e sem sapatos a agarrou. Ela tentou se livrar, mas a mulher a envolveu em um forte abraço e começou a puxá-la pela rua.

Uma boa samaritana, que pediu para se manter no anonimato, viu Amy ser puxada pela rua. Inicialmente, ela achou que a mulher era a mãe de Amy, mas depois notou a falta de sapatos e a pouca higiene.

A boa samaritana, que também era mãe, sabia que precisava fazer algo. Ela seguiu a mulher e Amy em seu carro. Ela perguntou a Amy se ela estava bem. A expressão de medo no olhar da pequena garota mostrou tudo que ela precisava saber.

A boa samaritana de pensamento rápido ordenou que a mulher soltasse Amy. Após alguns minutos de tensão, a sequestradora a soltou.

A salvadora de Amy a levou para a escola e contou à polícia a descrição detalhada da sequestradora. Ela foi presa e identificada como Claudia Hernandez Diaz, de 34 anos de idade.

Claudia Hernandez Diaz declarou-se culpada por roubo de criança e pela tentativa de sequestrar uma criança menor de 14 anos. Ambas as acusações são crimes. Claudia Hernandez Diaz foi sentenciada a quatro anos de prisão.

Veja também:  Amantes do ensino médio separados pelo racismo se reúnem 40 anos depois

Amy Martinez estava apenas feliz que toda aquela provação tinha acabado. Durante a tentativa de sequestro, ela pensou que nunca mais veria sua família. A única coisa que a sequestradora dizia era “não chore” em espanhol.

Assista ao desenrolar dessa história no vídeo abaixo:

Nem todas as tentativas de sequestro tem finais felizes como esta. Ajude-nos a espalhar a história de Amy Martinez e da boa samaritana que a salvou. O que você achou da atitude da mulher? Você faria a mesma coisa? Deixe sua opinião nos comentários – e sinta-se à vontade para compartilhar com seus amigos e familiares!

via; apost