Polícia russa tortura testemunhas de Jeová

7

Várias vítimas foram espancadas, sufocadas e eletrocutadas com tasers “nas coxas e noutras zonas”, por forças de segurança. A igreja Testemunhas de Jeová é considerada uma organização extremista na Rússia..

Várias Testemunhas de Jeová revelaram terem sido torturadas pelas forças de segurança russas devido à sua religião.

Num testemunho gráfico à BBC, as vítimas, residentes da cidade de Surgut, no norte da Rússia, afirmam terem sido espancadas, sufocadas e eletrocutadas com tasers, “nas coxas e noutras zonas”, como “entre as nádegas”. É a mais recente onda de detenções, desde que as Testemunhas de Jeová foram considerados uma “organização extremista” na Rússia, em 2017, abrindo as portas à sua perseguição.

Artium, um dos Testemunhas de Jeová torturados, foi interrogado por 12 horas acerca da sua religião, tendo recebido ameaças à sua vida e da sua família por polícias de cara tapada. “Pensei que me iam matar”, contou o jovem.

Já Evgeny, outra das vítimas, viu a sua casa ser virada do avesso por polícias armados, tendo mostrado aos repórteres da BBC marcas de queimaduras, que diz serem resultado da tortura. Dezenas de outras Testemunhas de Jeová terão sido detidas também na sua cidade.

Centenas das cerca de 175 mil Testemunhas de Jeová já fugiram da Rússia, tendo dezenas sido detidas, incluindo Dennis Christensen, o cidadão dinamarquês condenado o mês passado a seis anos de prisão pela sua religião.

Segundo o “The Moscow Times”, cerca de 250 Testemunhas de Jeová estarão na mira das autoridades, só em Surgut. O representante da Associação Europeia de Testemunhas de Jeová, Yaroslav Sivulsky considerou as torturas reportadas uma “tentativa desesperada e sem consciência das autoridades russas de fabricar provas de alegadas atividades criminais”.

Veja também:  Coronavírus Portugal: quebra no número de casos suspeitos, fique em casa e salve vidas

fonte; sol