Tomar um bom vinho de vez em quando ajuda no stress e reduz a ansiedade

Especialistas afirmam que vinho tinto contribui para aliviar o estresse, pois existe um elemento que está nas sementes e nas cascas das uvas escuras e consequentemente, também no vinho tinto, que levam a pessoa a um tipo de relaxamento anti estresse.

Uma pesquisa feita pela Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, indica que o componente “resveratrol” produz efeitos neuro protetores, prevenindo no combate do estresse.

Se esta substância for separada do álcool que está no vinho, ela pode ser utilizada em tratamentos médicos para a depressão.

Estudos indicam que resveratrol ajuda a bloquear a manifestação de uma enzima ligada ao controle do estresse e da ansiedade no cérebro.

Essa enzima é influenciada pelo hormônio do estresse, a corticosterona. Segundo a cientista Ying Xu, como o resveratrol tem a capacidade de inibir a expressão da enzima PDE4, essa substância poderia ser estudada e aplicada como terapia alternativa.

O resveratrol também está presente em outras frutas vermelhas e pode ser uma alternativa eficiente com medicamentos usados para tratar pacientes que sofrem de transtornos ligadas à depressão e à ansiedade.

Este composto e esta relação entre o componente e essa enzima, a “phosphodiesterase 4” (PDE4), ainda era desconhecida e seu estudo agora está sendo aprofundado.

Os antidepressivos da atualidade que estão disponíveis para a população, atuam no controle das funções dos hormônios chamados serotonina e noradrenalina que estão no cérebro.

Nem todos os pacientes com depressão conseguem normalizar as suas funções neurológicas em resposta aos medicamentos existentes no mercado.

Recomendamos:  Se estiver na menopausa evite estes 6 tipos de alimentos

Mas todo cuidado é pouco, pois Vinho alivia estresse mas precisa ser consumido com moderação e deve ser consumido preferencialmente na janta, pois no almoço, se você tiver que retornar ao trabalho com aroma de vinho no hálito, não passará uma boa impressão aos colegas ou a chefia.

A especialista ressalta que, apesar do vinho auxiliar contra o estresse, vale lembrar que o consumo de álcool é altamente nocivo a pacientes com depressão, podendo levar à dependência química.

Por isso, os pesquisadores destacam que o resveratrol precisaria ser sintetizado e administrado separadamente. via:educadoreslive

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *